Escolas Sustentáveis e COM-VIDA

MODALIDADE: Aperfeiçoamento

DURAÇÃO: Novembro de 2013 a Maio de 2014

CARGA HORÁRIA: 180h


O curso de aperfeiçoamento Educação Ambiental Escolas Sustentáveis e Com-Vida é um processo formativo para educadores que propõe uma jornada de estudos e práticas que articula ciências, arte, tecnologia, conhecimentos ancestrais, emoção e razão. Segundo orientações da Coordenação Geral de Educação Ambiental do MEC (CGEA) e da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI), o curso aborda as mudanças ambientais globais a partir dos seus impactos nos quatro elementos (água, ar, fogo e terra), visando estimular os profissionais da educação básica a desenvolverem uma educação ambiental contextualizada de forma transversal à prática pedagógica da escola, na medida em que os capacita para a observação do território e da realidade socioambiental, étnica e cultural da comunidade escolar, com percepção político-científica do contexto global.


Em consonância com o Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global, esta jornada é a oportunidade de colocar em prática a responsabilidade ética de mobilizar a comunidade escolar. Portanto, mais do que redutos de conhecimento formal, a formação é voltada para que as escolas se tornem centros de ensino-aprendizagem para a vida e para o cuidado com a vida. É assim que, por meio do sistema da Universidade Aberta do Brasil, na modalidade semi-presencial, o curso oportuniza a formação de multiplicadores em escolas de educação básica da rede pública com foco na temática da sustentabilidade humana e ambiental. O objetivo é formar coletivos comunitários habilitados a transformar a escola em espaço educador sustentável a partir da articulação entre currículo, gestão e espaço construído. E, sobretudo, formar professores do ciclo básico em Educação Ambiental, capacitando-os para o cumprimento da política nacional de educação ambiental.


Esta oferta, com uma carga horária de 180 horas distribuídas em 5 módulos, é uma oportunidade de estudos sobre a diversidade e a biodiversidade brasileiras, uma vez que o curso é realizado nos estados de Alagoas, Amapá, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro e São Paulo. Esta diversidade (biológica, sociológica, cultural, enfim) requer escuta atenta para os processos complexos na relação humano-humano e humano-natureza e que, fatalmente, se traduzem em territorialidades no ambiente escolar. É, também, uma oportunidade de se desenvolver um diálogo consequente, metódico e produtivo pela educação, capaz de gerar projetos viáveis, que materializem os sonhos de escola sustentável, pautados no reconhecimento da riqueza de nosso país e engajados na distribuição efetiva de oportunidades para a superação das desigualdades e iniquidades.


O material didático foi concebido e produzido de forma colaborativa e proporcional, entre as IESs: Universidade Federal do Mato Grosso (Módulo I), Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (Módulo II) e Universidade Federal de Ouro Preto (Módulo III).


A Coordenação Geral de Educação Ambiental do MEC (CGEA) propõe a realização deste curso considerando o relevante papel que a educação ambiental desempenha na melhoria da qualidade da educação, bem como na geração de atitudes responsáveis e comprometidas da comunidade escolar com as questões socioambientais locais e globais.


A proposta encontra-se em consonância com o Programa Nacional de Mudança do Clima (PNMC) e é articulada e financiada pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI) / MEC e pela Coordenação Geral de Educação Ambiental do MEC (CGEA).

 

 “O mundo é formado não apenas pelo que já existe,

mas pelo que pode efetivamente existir”

Milton Santos

 


+ Projeto Pedagógico do Curso

A mudança civilizatória sem precedentes, que tem nas mudanças ambientais globais a sua face mais visível, exige dos profissionais de educação uma abordagem da integridade da biosfera e da sobrevivência humana no planeta, que extrapola a visão meramente biocêntrica com que a educação ambiental tem sido usualmente tratada. Para isso, a Coordenação Geral de Educação Ambiental do MEC considera fundamental a formação continuada de professores e profissionais de educação numa perspectiva de educação ambiental interdisciplinar e transversal, em diálogo com o projeto político-pedagógico das escolas.

Escolas sustentáveis são definidas como aquelas que mantêm relação equilibrada com o meio ambiente e compensam seus impactos com o desenvolvimento de tecnologias apropriadas, de modo a garantir qualidade de vida às presentes e futuras gerações. Esses espaços têm a intencionalidade de educar pelo exemplo e irradiar sua influência para as comunidades nas quais se situam. A transição para a sustentabilidade nas escolas é promovida a partir de três dimensões inter-relacionadas: espaço físico, gestão e currículo. 

  • Espaço físico: utilização de materiais construtivos mais adaptados às condições locais e de um desenho arquitetônico que permita a criação de edificações dotadas de conforto térmico e acústico, que garantam acessibilidade, gestão eficiente da água e da energia, saneamento e destinação adequada de resíduos. Esses locais possuem áreas propícias à convivência da comunidade escolar, estimulam a segurança alimentar e nutricional, favorecem a mobilidade sustentável e respeitam o patrimônio cultural e os ecossistemas locais.
  • Gestão: compartilhamento do planejamento e das decisões que dizem respeito ao destino e à rotina da escola, buscando aprofundar o contato entre a comunidade escolar e o seu entorno, respeitando os direitos humanos e valorizando a diversidade cultural, étnico-racial e de gênero existente.
  • Currículo: inclusão de conhecimentos, saberes e práticas sustentáveis no Projeto Político-Pedagógico das instituições de ensino e em seu cotidiano a partir de uma abordagem que seja contextualizada na realidade local e estabeleça nexos e vínculos com a sociedade global.

    A criação de espaços educadores sustentáveis visa atender às ações elencadas como necessárias ao enfrentamento das mudanças climáticas. Por isso, foi inserida como iniciativa do MEC nas pautas interministeriais previstas no Plano Nacional de Mudança do Clima, constituindo elemento facilitador na prevenção e no enfrentamento de riscos ambientais e no fortalecimento do Sistema Nacional de Defesa Civil (Lei 12.340/2010).

    A Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola (Com-Vida) é elemento estruturante na constituição de espaços educadores sustentáveis. Trata-se de um colegiado que envolve estudantes, professores, gestores, funcionários, pais e comunidade com o objetivo de promover a sustentabilidade na escola em todas as suas dimensões, estabelecendo relações entre a comunidade escolar e seu território em busca de melhoria da qualidade de vida. A originalidade desse coletivo é estimular e fortalecer a liderança estudantil na definição dos destinos da escola. Orientada por esses objetivos, a Com-Vida anima um espaço de construção coletiva do futuro que se deseja e, para isso, estabelece a “Agenda 21” na Escola.

    Como espaço de diálogos, a Com-Vida ajuda a escola a projetar e implementar ações visando um futuro sustentável. Isso tem reflexos no exercício de cidadania, de respeito aos direitos humanos e à diversidade sociocultural, bem como na gestão do espaço físico da escola, aprimorando a eficiência no uso dos recursos e diminuindo o desperdício de água, energia, materiais e alimentos. A Com-Vida pode influir na política de compras e na destinação adequada de resíduos, entre outras práticas voltadas ao bem-estar pessoal, coletivo e ambiental.

    Nesse sentido, a transição para a sustentabilidade da comunidade escolar passa, necessariamente, pela criação, estruturação e fortalecimento da Com-Vida. Isso envolve a destinação, pela escola, de espaço para o funcionamento desta comissão, bem como a realização de uma agenda permanente de ações, como diagnósticos da situação socioambiental, promoção de palestras, visitas guiadas, oficinas, entre outras atividades identificadas como necessárias pelo coletivo escolar.

    A busca de sustentabilidade e a implementação da “Agenda 21” na Escola constituem exercício permanente e preveem alterações graduais no ambiente e na rotina escolares. Por isso, a Coordenação-Geral de Educação Ambiental do MEC trabalha com o conceito de “transição para a sustentabilidade”. Isso envolve o desenvolvimento de uma visão de futuro, o planejamento das ações para alcançá-lo e a busca de recursos para realizar ações identificadas como prioritárias, bem como persistência do coletivo escolar em alcançar as metas pretendidas.

    O Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) Escolas Sustentáveis surge nesse contexto e preconiza a utilização dos recursos em ações que possam conferir visibilidade à intenção de educar para a sustentabilidade. A escola poderá utilizá-los em uma ou mais ações relacionadas ao espaço físico, à gestão ou ao currículo. É importante, porém, que as intervenções possibilitem à escola realizar uma experiência demonstrativa, que seja amplamente divulgada e estimule processos pedagógicos, tornando-se referência na promoção da cultura da sustentabilidade.

+ Perfil do Profissional

Nosso objetivo é certificar, em nível de aperfeiçoamento, profissionais da educação, como gestores e professores vinculados a escolas públicas do ensino médio, fundamental ou da educação infantil; servidores federais, estaduais ou municipais, cuja atividade inclua o trabalho com escolas, especialmente aqueles que trabalham com projetos e desenvolvem atividades que interferem na rede física da educação, ou pessoas que trabalhem, estudem ou tenham interesse pela temática do curso, tornando-os aptos a pensar, articular, compartilhar e conduzir processos de transformação das escolas em espaços educadores sustentáveis.

+ Objetivos Gerais

O curso tem por objetivo formar coletivos comunitários habilitados a transformar a escola em espaço educador sustentável a partir da articulação entre currículo, gestão e espaço construído.

+ Objetivos Específicos

  • Planejar uma intervenção nas escolas para transformá-las em espaços educadores sustentáveis, tornando-as referências de sustentabilidade para as comunidades onde se inserem;

  • Discutir estratégias para qualificar o tratamento da educação ambiental nos currículos, de forma transversal e interdisciplinar;

  • Implantar uma Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (Com-Vida) nas escolas, como instrumento de gestão democrática e de planejamento participativo da transição para a sustentabilidade;

  • Estimular as escolas a participarem de projetos que promovam a educação para a diversidade e a sustentabilidade. 

+ Metodologia

Desenvolvido na modalidade semi-presencial, o curso tem a duração de 5 meses, usando a internet como meio de comunicação e integração entre os participantes, tutores e professores, e também para acesso ao material de apoio, especialmente desenvolvido por uma equipe de especialistas. Sua proposta pedagógica está assentada na relação teoria-prática, que expressa uma concepção de formação humana e de gestão educacional dentro dos marcos da democracia e da cidadania, buscando incentivar o pensamento crítico sobre a nossa realidade socioambiental, tendo a escola como local privilegiado. Esse processo de formação implica na apropriação de meios, mecanismos e instrumentos que permitam intervenções satisfatórias na transformação das escolas em espaços educadores sustentáveis, a partir da compreensão do conceito de sustentabilidade.

O curso é organizado em módulos, com previsão de quatro encontros presenciais, sendo as demais atividades realizadas a distância. Como trabalho de conclusão do curso, os participantes são orientados a desenvolver projetos de intervenção local, considerando a interação entre escolas e comunidades. Os portais de referência para o desenvolvimento das atividades são a Rede Nacional de Formação Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica Pública e Portal do Professor. Os tutores a distância acompanham os cursistas e a elaboração de projetos de intervenção de maneira virtual na Comunidade de Trabalho e Aprendizagem em Rede. Os cursistas podem se reunir nos polos presenciais, com disponibilidade de um tutor presencial. O material didático é condizente com os objetivos, ementa e fundamentos teórico-metodológicos, bem como é organizado segundo os módulos propostos. O curso está disponível offline via material impresso e multimídia. O produto final do curso é a apresentação de uma proposta de intervenção na realidade escolar, elaborada individualmente ou em grupo.

+ Formas de avaliação

As atividades desenvolvidas pelos cursistas são acompanhadas e avaliadas de modo contínuo pelos tutores, professores e coordenação. Essa equipe se mantém em constante interação visando à troca de informações, à apreciação conjunta das dificuldades e à busca de soluções relacionadas às dificuldades de cada componente curricular. A avaliação é desenvolvida de forma unilateral e também compartilhada tutor/professor/coordenador e cursista, procurando compreender o processo de construção do conhecimento. 

Devido à natureza interativa desse processo, o diálogo constitui base fundamental da avaliação, cabendo aos tutores/professores a iniciativa de proporcionar os estímulos e incentivos necessários ao desenvolvimento dessa prática pedagógica, respeitando e estimulando o cursista, que é um parceiro ativo nessa interação.

São considerados os seguintes instrumentos avaliativos, considerando-se a conclusão e envio das Atividades de Aprendizagem e dos Observatórios para o Ambiente Virtual de Aprendizagem dentro dos prazos pré-estabelecidos:

  • Tarefas individuais (produção de textos e reflexões);

  • Tarefas em grupo (implantação/revitalização da Com-Vida, dentre outros);

  • Participação nas discussões e sessões de interação síncronas (chats) e assíncronas (fóruns) propostas;

  • Trabalho Final – Projeto Nossa Escola Sustentável.


Da Presencialidade

Estão previstos quatro encontros presenciais durante o curso. A aferição relativa aos 75% de “presença” no curso, exigidos por lei, é feita via registro/avaliação da participação dos cursistas nas atividades interativas no ambiente em rede colaborativa (fóruns, chats etc), além da efetiva participação nas sessões presenciais.

O curso de aperfeiçoamento Escolas Sustentáveis e Com-Vida está estruturado de acordo com disposições da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI) e da Coordenação Geral de Educação Ambiental do MEC (CGEA), e concede aos cursistas que realizarem 75% das atividades obrigatórias e apresentarem projeto de intervenção local, o Certificado de Aperfeiçoamento expedido por essa instituição.

+ Polos Presenciais

Curso ofertado nos polos:

Araguari União dos Palmares – AL

Bálsamo – SP

Barão de Cocais – MG 

Barretos  – SP

Bragança – PA

Camaçari – BA

Cametá – PA

Coromandel – MG

Dias D’Avila – BA

Dom Eliseu – PA

Frutal – MG

Governador Valadares  – MG

Igarapé-Miri – PA

Ipatinga – MG

Lagamar – MG

Macapá – AP

Marabá – PA

Oiapoque – AP

Ouro Preto – MG

Santana – PA

São Sebastião da Boa Vista – PA

Uberlândia – MG

Vitória – ES

+ Tutores

Lista de Tutores

+ Estagiários (Fundação Gorceix e FEOP)

Email geral

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Estagiários

Antônia Duarte Caixeta

Pâmella Felicio Pereira e Silva

Stephane Fabris

+ Docentes

Lista de Docentes

+ Membros do NDE

Presidente

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Professores

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Coordenadora Técnica

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

+ Membros do Comitê Consultivo

Email geral

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Coordenador

Prof. Jorge Luiz Brescia Murta

Professores

Prof.ª Clarisse da Silva Vieira 

Prof. Daniel Clark Orey 

Prof. Gilson Antônio Nunes 

Prof. Gilberto Fernandes

Prof.ª Marilene Andrade Ferreira Borges 

Prof. Herman Hudson De Oliveira

Prof.ª Luana Roque Silva Mendes Barros

Prof.ª Tatiana Gomes Ferreira

Prof. Milton Rosa

Prof. Renato de Mendonça

+ Links Relevantes

 

 

 


Secretaria do Curso

(31) 3559.1306

Supervisão Pedagógica do Curso

Prof.ª Tatiana Gomes Ferreira

Supervisão do Curso

Prof. Hudson Augusto Silva

Coordenação do curso

Prof.ª Dulce Maria Pereira

(31) 3559.1306

Núcleo Docente Estruturante

Presidente

Prof.ª Dulce M. Pereira

(31) 3559.1306


Coordenador

Prof. Jorge Luiz Brescia Murta

(31) 3559.1306